Ficção para adultos



 

Ficção para adultos:
O nº 11
(Colibri)
Começar de novo
(Oficina do livro)
Uma pedra sobre o rio (Reedição Oficina do Livro)
Escrito a lápis
(Difel)
O degrau de cima
(Sete Caminhos)
Mais poste, menos poste (Padrões Culturais)
De Nome, Esperança (Oficina do livro)

16 comentários:

Rita Vilela disse...

Eu já os li todos! Porque sei que vão gostar, recomendo que façam o mesmo.

E descobri um site com 3 perguntas a Margarida Fonseca Santos sobre o livro Começar de Novo. Deixo aqui o endereço, para quem quiser espreitar: www.novoslivros.online.pt

Anónimo disse...

Sou uma jovem de 16 anos e particularmente posso dizer que adorei o livro "Começar de Novo".

É inspirador, forte e ao mesmo tempo ferido. Mas completamente encantador!

Já há muito que não tinha tanto prazer em ler, como quando li esse livro!

Margarida FS disse...

Agradeço-lhe imenso as suas palavras. Conseguir que o leitor se comova, zangue, ria e viva a história é o meu objectivo principal, pois a vida é feita de emoções. Pode imaginar o bom que é receber uma mensagem como a sua.
Um beijinho
Margarida

Tomás disse...

"
Olá!
Sou ser rápido antes que isto acabe...
estou num nº11 que aconteceu SÓ no rés-do-chão!
A luz faltou, e os vizinhos do RC Dir. abriram a porta para entrar a luz do corredor (que, curiosamente, está a funcionar, tal como o 1º piso). Nós, no RC Esq. também temos a porta aberta.
Provavelmente vamos ter que comer fora, porque nesta casa não se cozinha nada sem electricidade.
Escrevo-te com uma hora e seis minutos de bateria que restam no meu computador portátil.
Estamos a espalhar velinhas.
A minha mãe já telefonou à EDP, e eles dizem que vêm a caminho, mas ainda deve demorar.
A luz faltava muito na minha antiga casa (a 1ª desde que voltei a Lagos), porque tínhamos pouca electricidade e muitas coisas ligadas. Mas íamos ao quadro, puxava-mos aquela "coisa" para cima e tudo voltava. Desta vez é diferente. Houve interacção com os vizinhos.
Quando chegámos a casa, o vizinho da frente acabara de sair e perguntou-nos se tínhamos electricidade. Vimos que não tínhamos e pronto. No meio de tudo, nós vimos a casa deles e eles viram a nossa, e a filha dos vizinhos, a pequena Mariana, veio cá fora e disse o seu nome! Que engraçado.
É só um pequeno nº11, mas vale a pena contar.
Agora com o resto da bateria tenho que urgentemente fazer o trabalho de história.

ABraços e beijinhos!
Tomás
"

Margarida FS disse...

Fantástico!!! É a realidade a dar força à ficção... Obrigada, Tomás!
Um grande beijinho
Margarida

João Louro disse...

Assisti à sua palestra na Escola Jorge Peixinho e posso dizer em nome do 9ºF que foi bastante cativante e todos gostámos muitíssimo da sua apresentação e quero agradecê-la, por isso.

João Louro

Margarida FS disse...

Muito obrigada!
Bem, a escola Jorge Peixinho vai ficar na minha memória para sempre, disso podem ter a certeza...

Prof. Dália Santos disse...

Como demorei um pouco para encontrar essas 3 perguntas (e porque descobri mais 3X3) resolvi acrescentar informação ao comentário da Rita Vilela e deixar aqui o link directo para as perguntas que te fizeram:
http://novoslivros.blogspot.com/search?q=Margarida+Fonseca+Santos
Da ficção para adultos, já li o N.º 11 e o Escrito a Lápis... Gostei imenso de tudo nos dois: o enredo, as personagens, a construção da narrativa (em alternância)... neste momento estou muito curiosa com o Começar de Novo, já o tenho e está na calha ;) e foi por isso que vim à descoberta!
Se me deres o direito de fazer um pedido especial... eu gostava que te dedicasses um pouco mais a nós, adultos!!! (embora eu admita muitas vezes que os teus livros infantis/juvenis também são para adultos... só para esclarecer ;)

Margarida Fonseca Santos disse...

Minha querida, e eu que desejo tanto escrever mais para adultos. Os contos são a minha perdição. Eu já te dei o Degrau de Cima? Tenho de to levar!!!
Um beijo sempre deslumbrado com esta tua capacidade de nos entusiasmar!

Prof. Dália Santos disse...

Bem... postas assim as coisas... confesso-te que não... não tenho O Degrau de Cima :)

Anónimo disse...

sou do 11º ano e tenho 16 anos.
acabei ontem de ler o "escrito a lápis", digamos que gostei. é uma leitura facil em 1 hora e 30 minutos lê-se bem :)
estou habituada a histórias mais complexas mas esta tem um tema importante: a amizade; E achei muito simples mas inteligente e brilhante a maneira como foi transmitido o seu significado.
Mas gostaria de perguntar o porque do título: será que é só por ser o início da relação entre as duas personagens principais? Ou porque é referida várias vezes? …
Beijinhos e obrigada

Margarida Fonseca Santos disse...

Olá! Obrigada por teres vindo aqui deixar esta mensagem. E fico contente por teres gostado!
Estava aqui a pensar que és capaz de gostar de ler um livro que se chama "Brincar com coisas sérias", queres experimentar?
Em relação à tua pergunta - espero que não fiques chocada! A verdade é que eu sempre tive a mania de escrever a lápis na agenda coisas que achava que talvez não fossem acontecer. Quando preciso de as passar a limpo isso quer dizer que vão mesmo acontecer. Uma mania como outra qualquer, estás a pensar, e cheia de razão! Mas aquilo que sinto é que, quando há pessoas e coisas importantes, devo "passá-las" a tinta, para que fiquem. É essa a razão de ter posto este título a um livro sobre a amizade.
Espero saber mais notícias tuas!
Um grande beijinho
Margarida

Anónimo disse...

Agradeço a resposta :)
Então o simples facto de o título ter aquele nome é apenas por opinião própria e algo que costuma fazer, tal como o rapaz do livro, o Francisco que escreve aquilo que acha da vida.
E também agradeço por me ter aconselhado esse livro, se o conseguir arranjar e acabar de o ler venho aqui exprimir a minha opinião.
Muito obrigada.
Vanessa (anónima do 11ºano)

Margarida Fonseca Santos disse...

Cá fico à espera. Boa leitura.
Um beijinho
Margarida

Pedro Caetano Carvalho disse...

Txiiiii! Quero lê-los todinhos! E não só estes, estes daqui também: http://margaridafonsecasantos.blogspot.com/2007/06/bibliografia.html !!
Já estou no caminho! ;)
Abraço,
Pedro Caetano Carvalho

Margarida Fonseca Santos disse...

És mesmo cómico! Já leste imensos...
Um grande beijinho e talvez até a um mês, não