Feira do Livro de Lisboa









Aqui ficam horários, editoras e dias!

25 de Maio - 15h/17h - Editorial Presença
26 de Maio - 17h/19h - Leya
1 de Junho - 17h/19h - Leya
1 de Junho - 19h/20h - Estampa
2 de Junho - 18h/19h30 - Clube do Autor

As histórias em 77 palavras na Rádio Sim


Todos os programas e a entrevista de início podem ouvir-se aqui:
ou no blog

Indicativo do Programa - Música e letra: Margarida Fonseca Santos; Arranjos, direcção musical, piano e voz: Francisco Cardoso - Histórias de Cantar CD - Conta Reconta

Mensagens que nos mostram que vale a pena!


Recebi esta mensagem do José Soares, professor em São Pedro do Sul e amigo desde os tempos de "O Bicho-de-Conta" na Antena 1 e que tem enviado participações dos alunos para as histórias em 77 palavras. Foi com ele e os seus alunos que fiz o último programa (que acabou quando a guerra do Iraque rebentou); e hoje arranca a parceria com a Rádio Sim. Não há coincidências...
Sabe tão bem! Obrigada, José

"Boa noite, Margarida!
Fico contente por ter encontrado uma estação de rádio para partilhar todas estas histórias que só surgem graças ao seu enorme trabalho e dedicação à causa da escrita. Parabéns! Espero, sinceramente, que seja um sucesso, como tem sido tudo aquilo em que coloca as suas mãos, o seu jeito e a sua arte, acima de tudo.
Na minha escola, tenho "espalhado" o seu trabalho e a sua mestria na arte da criatividade literária. Já contagiei muitos alunos e até alguns professores. Hoje mesmo, mostrei o "meu" "Escrita em dia" e logo uma colega mo pediu para levar, o que não recusei, pedindo apenas que "o" tratasse com todo o carinho, pois tenho fé que, um dia destes, há-de levar o selo da progenitora, assim como mais umas dezenas que tenho aqui em casa, no tal sítio especial da minha estante de sala. Faço sempre questão de "mostrar" aos amigos...
Continuo a LER a Esperança, como li poucos livros, até hoje. Era capaz de lê-lo, numa tarde ou numa noite, mas "este" não é assim que o quero ler. Enquanto leio, frase a frase, parágrafo a parágrafo, tiro notas, sublinho, coloco montes de pontos de interrogação e exclamação (quando as "pinceladas " são verdadeiramente surpreendentes e deliciosas), assinalo as "imagens", as metáforas, todos os recursos retóricos e semânticos... Que maravilha! Que escrita maravilhosa! Que melodia, diria, tal como referi, aquando da leitura do "Deixa-me entrar na tua vida". O que também não foi por acaso, pois conheço minimamente a biografia da minha escritora preferida destes tempos; sei da sua formação em "Música" e penso que a analogia que então fiz não lhe foi estranha: a partitura, de facto, é composta pelo conjunto das melodias dos vários instrumentos, que eu revi nas personagens da história. Sem harmonia, no início, como que desafinados até, subindo, em crescendo até àquele final sublime.
Mas era da Esperança que falava. Vou sensivelmente a meio e, acredite, já estou como aquelas pessoas que sentem saudades de bons momentos, muitos momentos antes de se separarem... quero chegar ao fim mas ao mesmo tempo quero prolongar este prazer o máximo possível. Não tenho pressa. Quando acabar esta primeira leitura, mais analítica, do ponto de vista formal e do outro, o da mensagem (perdoe-me a ousadia, defeito profissional...), então lê-lo-ei de novo, dessa vez sem interrupções, para melhor absorver todo o conteúdo e todo o ensinamento que (me) pode dar...
Os meninos continuam entusiasmados com as "77" e alguns já estão a escrever o 42.
Um grande beijinho!
Obrigado por ser quem é, por ser assim!"