Manuel António Pina no JN




Código Penal versus História

Quando soube que Margarida Fonseca Santos, autora da peça "A filha rebelde" (adaptação do livro homónimo de José Pedro Castanheira e Valdemar Cruz) e dois ex-directores do Teatro Nacional D. Maria II iriam hoje a julgamento em Lisboa acusados de difamação e ofensa à memória do major Silva Pais, responsável máximo da PIDE de 1962 a 1974, admiti que na referida peça tivessem, de facto, sido ditas coisas vergonhosas sobre o homem, sei lá, que ele, por exemplo, seria um entusiasta da Declaração Universal dos Direitos do Homem ou que a PIDE, enquanto foi seu director, nunca perseguiu, torturou ou matou quem quer que fosse.
Afinal descobri por uma notícia da Lusa que os sobrinhos de Silva Pais que propuseram a acção se queixam de que, na peça em causa, haverá três falas onde se "insinua" o envolvimento do seu digníssimo tio no assassinato, em 1965, do general Humberto Delgado às mãos da PIDE.
Argumentam os sobrinhos que Silva Pais, acusado de co-autoria moral do crime, nunca chegou a ser condenado (nem absolvido) já que morreu uns meses antes da sentença do tribunal que julgou o caso.
É um excelente argumento. Ressalvando as devidas distâncias, que nele meditem os que por aí dizem coisas feias de, por exemplo, Átila, o Huno, Hitler, bn Laden ou o guarda-redes Roberto do Benfica, que também nunca foram condenados (que se saiba, nem por uma simples multa de estacionamento) em qualquer tribunal.
MANUEL ANTÓNIO PINA
publicado a 2011-05-04 às 00:00

5 comentários:

Margarida Fonseca Santos disse...

Não resisti a partilhar esta crónica convosco...

Chico disse...

Uma excelente ironia!

Margarida Fonseca Santos disse...

Deixou-me mesmo a sorrir... lindo!

Raimundo Narciso disse...

Cara Margarida Fonseca Santos O Movimento Civico Não Apaguem a Memória (NAM)solidarizou-se convosco e denunciou os autores da queixa ver no site do NAM: http://maismemoria.org/mm/.
Também denunciei o caso nos meus blogs
e também nos meus blogs
http://puxapalavra.blogspot.com/2011/05/aos-quatro-ventos.html
e aqui:
http://memoriasdopresente.blogspot.com/2011/05/querem-branquear-pide.html.
e na minha pág do Face
http://www.facebook.com/home.php#!/profile.php?id=1307130804.
Enviámos o nosso comunicado para a Lusa mas parece que não publicaram.O NAM queria acompanhar o vosso julgamento e mobilizar os seus sócios e amigos. Dê-me notícia do resultado da audiência de ontem, dos desenvolvimentos próximos ou sugestões para raimundonarciso@netcabo.pt
Obrigado e boa sorte.

Margarida Fonseca Santos disse...

Muito obrigada pela solidariedade e empenho em dar visibilidade ao que está a acontecer. É importante, sobretudo para os jovens, relembrar como foi não poder falar, ter ideias diferentes do regime, das pessoas presas e torturadas pela PIDE - o 25 de Abril não é uma data que se comemora, é um virar de página na liberdade de todos. Já enviei mail com informações, irei agora visitar os blogs.
Um abraço